10 de maio de 2015

Mãe, amor em forma de gente

mae

Mãe, a própria razão da vida. Há de viver sempre da glória de si mesma para a glória do pequenino ser diante do seu sorriso… Primeiro amor…voz doce, dos seus lábios jorram palavras de amor.

“…Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água puro, ar puro, puro pensamento. Mãe, na sua graça, é eternidade..”, resumiu bem Carlos Drummond de Andrade.
Sabemos que toda mãe é guerreira e nem precisaria de uma data especial para ser lembrada. Essa mulher que na ordem do dia, todos os dias, mantém jornada dupla ou até tripla, ainda lembra que além de mulher e mãe, é feminina, batalhadora, fêmea e amante.

Nota 10, com louvor, para a mulher que atua no mercado de trabalho e comanda sua vida dentro e fora de casa. Nota 10, com louvor, para aquela que é pobre e luta, com muito sacrifício, pelo pão de cada dia. Olha para os filhos, forte, confiante e sabe que não pode vacilar diante da solidão, do descaso, do desprezo, da dor e má sorte de não poder dar um berço de ouro para seus filhos.

Mãe, de verdade, é aquela que ensina seus filhos a serem melhores como pessoas, para que vida a fora, possam ter relacionamentos mais saudáveis e felizes. Abraham Lincoln, o 16º presidentes dos Estados Unidos, disse “tudo aquilo que sou, ou pretendo ser, devo a um anjo: minha mãe””.

Todas as correntes da psicanálise convergem para a importância da mãe na formação da personalidade. Mãe perfeita não existe. Enquanto mães buscamos sempre acertar. Enquanto filhos somos julgadores e muitas vezes cruéis. Devemos aproveitar o Dia das Mães, não apenas para presentear, mas para fazer uma reflexão.
Como filhos, ser mais compreensivos, mais amorosos e não culpá-las pelas nossas mazelas aproveitando melhor seus ensinamentos. Saber perceber o quão sublime é o amor da sua alma – alma que nós, os filhos, talvez nunca consigamos compreender.

Como mães, ser menos cobradoras, mais amigas, companheiras, menos exigentes conosco. Apesar de sermos seres de infinito amor para com nossos filhos, devemos sempre lembrar que somos seres imperfeitos. Feliz Dia das Mães!

“Por que Deus se lembra – mistério profundo – de tirá-la um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre
junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho.” (Carlos Drummond de Andrade).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>