Category Archives: Dicas para casais

11 de junho de 2015

Especial Dia dos Namorados: Por um mundo com mais amor maduro

amormoar

“O amor maduro tem a experiência da vida e sabe o quanto vale um sentimento profundo, verdadeiro e duradouro.”

Encontrar o amor, em qualquer das fases de nossa vida, é sempre divino, seja na infância, na adolescência ou encontrá-lo na maturidade. Quando duas pessoas se amam e decidem ficar juntas é porque estão dispostas a unirem suas forças em direção a um projeto de vida em comum.

Mas existe uma pergunta que muita gente faz, mas poucos conseguem responder. O que é o amor? Será que é aquele comercial de margarina lindo, em que mulher, esposo e filho tomam café juntos enquanto o cachorro brinca lá fora? Não, isso não é amor. É simplesmente uma ideia, um comercial.

No amor, temos que levar em consideração que cada um traz na bagagem seus objetivos pessoais. É fundamental poder contar com o incentivo e apoio do parceiro. O carinho, a amizade e o estímulo que cada um dispensa ao outro será a chave do sucesso para que sejam felizes.

‘’ Viver juntos pode significar dividir o barco, a ração e o leito da cabine. Pode significar navegar juntos e compartilhar as alegrias e agruras da viagem,  mas nada tem a ver com a passagem de uma margem à outra, e portanto seu propósito não é fazer o papel das sólidas pontes (Ausentes)’’, disse Zygmunt Bauman, o filósofo que melhor retrata como os laços humanos funcionam na modernidade.

Bauman também aponta duas qualidades importantes em uma relação madura: humildade e coragem. ‘’Essas duas qualidades são exigidas, em escalas enormes e contínuas, quando se ingressa numa terra inexplorada e não mapeada. E é a esse território que o amor conduz ao se instalar entre dois ou mais seres humanos.’’

Somente as pessoas emocionalmente maduras conseguem transformar uma convivência diária, com todos os riscos do desgaste do dia-a-dia, numa relação gratificante. Um relacionamento prazeroso, sem cobranças, sem o aprisionamento, onde cada um pode se sentir inteiro.

Numa relação amorosa madura, um presta atenção no outro e nas suas necessidades para poder repor o que começa a faltar. Isto requer tempo, conhecimento de si mesmo e do outro, dedicação e muita predisposição para querer acertar. Para entender as mensagens ocultas e evitar os conflitos, são fundamentais a sensibilidade e habilidade de se conectar e expressar as emoções. Só assim é possível construir uma relação mais prazerosa e voltar a se impressionar mais com a vida, em especial com as pequenas e belas coisas da vida. Menos angústias, insatisfações e melancolia. Mais companheirismo, carinhos, bem-querer e prazer.

Na relação amorosa madura, os dois procuram crescer juntos, se incentivando mutuamente, têm amigos comuns, emocionalmente estruturados, adoecem menos, são individualmente mais felizes e não se prendem às ditaduras da sociedade.

A felicidade amorosa contribui muito para o sucesso profissional que como consequência traz ganhos financeiros. Realizações bem sucedidas geram contentamento, cumplicidade e admiração. Aquele brilho no olhar que só acontece quando se sente um amor verdadeiro.

Só consegue viver um amor maduro quem tem equilíbrio emocional, quem confia no “próprio taco”. Ou seja, aquele que não fica criando caso quando o parceiro elogia o belo monumento que acabou de passar. Em relacionamentos maduros é civilizado conviver com os ex., não ouvir conversas na extensão, não ficar bisbilhotando o talão de cheques e nem entrar em paranoia quando toca o celular do parceiro. Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro.

E como diz Artur da Távola: “Na felicidade está o encontro de peles, o ficar com o gosto da boca e do cheiro, está a compreensão antecipada, a adivinhação, o presente de valor interior, a emoção vivida em conjunto, os discursos silenciosos da percepção, o prazer de conviver, o equilíbrio de carne e de espírito”.

Dois corações envoltos na mais pura alegria de viver.

Veja também: Acredite em você

 
 
10 de abril de 2015

Você sabe fazer e receber críticas?

criticanorelacionamento

Uma das características fundamentais do ser humano é a sua imperfeição e, portanto, a sua transitoriedade. Temos o livre arbítrio para escolher: estagnar ou crescer. As mudanças que permitem o nosso aperfeiçoamento decorrem de alguns pressupostos. Inicialmente a consciência dos aspectos que barram a nossa felicidade. Depois o desejo verdadeiro de querer mudar. Finalmente, as ações necessárias para a transformação.

A ignorância ou a não aceitação desses princípios é que leva uma pessoa a querer mudar a outra, através da crítica e do julgamento. A crítica pode ser entendida como toda a observação específica referente a um determinado comportamento, que encoraja uma pessoa a melhorá-lo, reforçá-lo ou desenvolvê-lo.

Tipo de crítica

A crítica pode ser positiva ou negativa. A positiva reforça o comportamento. A negativa visa corrigir ou melhorar o comportamento ou desempenho de baixa qualidade ou insatisfatório. Ambas devem ser construtivas. Mas também existem pessoas que fazem críticas destrutivas. Esse tipo de crítica cria um ciclo negativo de ataques e contra-ataques, principalmente se o casal for composto por pessoas obsessivas ou ressentidas. Toda a admiração pelo outro morre, dando espaço apenas a aspectos negativos.

Muitos tendem a criticar constantemente as pessoas que os rodeiam. Mas, quase sempre o parceiro é a maior vítima. Costumamos sempre ficar apontando os pontos negativos dos outros. Como seres imperfeitos, nem sempre temos a consciência dos aspectos que atrapalham a nossa felicidade amorosa. Muitas vezes, ansiamos por um forte desejo de mudança, mas quando não encontramos as ações necessárias para nos transformar, é mais fácil mostrar ou exigir que o outro mude.

 

 
 
 
14 de outubro de 2014

Quem ama trai?

 

Quem ama trai?

Marlene Heuser (Matchmaker à frente da agência de namoro e casamento Golden Years)

A palavra traição quase sempre causa mal estar. Quem gosta de ser traído?  Apenas a título de curiosidade, a sexta-feira santa nos arremete para a traição de Judas.

Embora haja muitos tipos de traição, amigos, parentes, colegas, em todos os casos sempre causa muito sofrimento aos envolvidos, em especial, à pessoa traída. Muitas considerações podem ser feitas sobre as várias formas de traição e suas motivações. Mas, vou me fixar na mais conhecida e temida: a traição conjugal.

Muita gente diz que traição é a satisfação de um desejo fútil e súbito de alimentar o ego. O ser humano adora conquistar, mesmo estando bem na relação. Olhar, paquerar é gostoso, faz bem e massageia o ego. Depois vira a página, sem problemas, sem culpa.

 

 
 
 
21 de julho de 2014

Os mandamentos da felicidade a dois

Couple playing around

O convívio a dois nem sempre é uma tarefa fácil. Conflitos e problemas podem surgir ao longo do tempo e prejudicar a relação que, há tempos, ia tão bem. Mas isso não significa que você não possa fazer nada para evitá-los. Muito pelo contrário, deve. Por isso, a matchmaker Marlene Heuser, da Golden Years, separou cinco dicas fundamentais para a saúde do seu namoro ou casamento.

1 – Tolerância: se já é complicado lidar com os próprios defeitos, imagine com os do outro! No entanto, é necessário se esforçar e ter paciência. Afinal, a perfeição não existe.  

 
 
 
02 de julho de 2014

A importância de respeitar a independência do par

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamentos-independencia

Quando estamos namorando por um longo período de tempo ou já nos casamos, é normal e necessário que nos adaptemos a vida a dois, excluindo ou deixando um pouco de lado algumas coisas que costumavam fazer parte da antiga vida de solteiro. Sair todos os dias, não dar satisfação a ninguém e tomar decisões impulsivas são algumas delas, por exemplo. Porém, se há algo que não deve, jamais, ser excluído ou deixado de lado, é a independência.

 

 
 
 
25 de junho de 2014

As manias que afetam os relacionamentos

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamentos-manias

Para desfrutar de um relacionamento saudável, não é segredo que esforço e comprometimento são exigidos desde o início. E, apesar de não existir nenhuma fórmula mágica para que o relacionamento evolua, esses dois fatores auxiliam no processo, pois ajudam a evitar situações que podem desgastar a união ao longo do tempo. Tais situações são as chamadas manias, que se apresentam como verdadeiras inimigas do amor. E são elas o tema do nosso post de hoje.

 

 
 
 
12 de junho de 2014

Vibre junto com seu parceiro na copa, mesmo não gostando de futebol

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamentos-namoros-copa-do-mundo

Para um relacionamento saudável e gostoso, ambas as partes precisam se apoiar e se fortalecer por meio de palavras e gestos que possibilitem o desenvolvimento do romance. Palavras de incentivo, de amor e de carinho, bem como atitudes que demonstrem comprometimento e consideração um para com o outro são imprescindíveis em qualquer etapa da união.

E a Copa do Mundo é uma oportunidade perfeita para colocar tudo isso em prática. Pense que milhões de casais por todo o mundo se reunirão para torcerem e vibrarem juntos. E, isso, por mais banal que pareça, fortalece os laços afetivos, pois proporciona um tempo divertido e descontraído que vocês poderão passar juntos.

 

 
 
 
09 de junho de 2014

Presentes para o Dia dos Namorados

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamentos-presentes-dia-dos-namorados

O mês de junho finalmente chegou e trouxe consigo coisas muito boas. Mas não estamos falando da Copa do Mundo ou do frio (ah, que saudade dos meus cobertores), mas, sim, do tão esperado Dia dos Namorados, que é comemorado no dia 12.

Embora não exista data específica para celebrar o amor, é inegável que a data exala um carinho e uma gentileza excepcionais e contagiantes. E para fazer jus a tudo isso e a sua parceira (o), você não pode deixar a ocasião passar em branco. O que nos leva ao assunto de hoje: presentes para o Dia dos Namorados.

 

 
 
 
26 de maio de 2014

Esfriou? Calma, é possível esquentar de novo

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamentos-esfriou-esquente

É normal que o início de um relacionamento seja pautado por encanto e deslumbramento. Promessas e juras de amor são proferidas, planos são esboçados e não há sinal aparente de que as coisas possam sequer dar errado algum dia. Porém, também é normal que, com o passar do tempo e o desenvolvimento do relacionamento, as coisas mudem e o calor inicial passe.

O que não é normal, todavia, é que vocês se conformem com um relacionamento frio e não façam quaisquer esforços para tirá-lo da inércia e esquentá-lo novamente. Portanto, temos algumas dicas que lhe ajudarão quanto a isso.

 

 
 
 
12 de maio de 2014

Casei. E agora?

golden-years-agencia-de-relacionamentos-casamento

Tudo caminhou como o planejado. Vocês se conheceram após muita procura e expectativa. Começaram a namorar e as coisas evoluíram de uma forma incrível. Tanto que, depois de um tempo de crescimento conjunto, vocês decidiram que era hora de casar. Mas aí você para e pensa: até ontem, eu era namorado (a) de alguém e, agora, sou esposo (a) desta pessoa. O que muda daqui para frente? Bem, nós lhe responderemos isso no post de hoje.

Primeiramente, entenda que casamento não é sinônimo de prisão. Sua liberdade individual para praticar seus hobbies e cultivar suas ideias e opiniões continua lá. É sua. Aliás, é algo que deve ser feito para a manutenção de um bom casamento. Entretanto, é necessário encontrar um ponto de equilíbrio e preservar as duas partes – a sua liberdade e a vida conjunta com o parceiro (a). E isso é um desafio.