Category Archives: Comportamento

11 de janeiro de 2016

Você é romântico?

romaticoO romantismo é um dos pilares de sustentação do relacionamento que há muito tempo vem sendo negligenciado. A falta de romantismo é uma reclamação comum, especialmente das mulheres, que desgasta a relação e faz com que um acabe perdendo o desejo pelo outro.

É muito comum as pessoas inventarem mil maneiras de agradar o outro na hora da conquista e no início do namoro. Com o passar do tempo e com o desgaste natural do dia-a-dia as pessoas costumam descuidar da relação.

Cada um tem seu jeito de ser e não adianta querer ficar tentando mudar o outro. No entanto, o que pode ser feito para manter o outro sintonizado é tomar a iniciativa de propiciar momentos especiais. Muitas vezes, não percebemos que nossas atitudes não favorecem o romantismo. Um dia-a-dia recheado de cobranças, queixas e agressões jamais dará espaço para uma cena romântica.

Pessoas mal resolvidas e que não conseguem ter questões importantes como o respeito à individualidade inseridas no relacionamento, acabam se frustrando e se anulando por deixarem de fazer muitas coisas que gostariam em nome do outro. Desta forma surgem as frustrações, a rotina e a infelicidade. A falta de romantismo sem dúvida desgasta e satura o relacionamento.

Geralmente quando as coisas começam a ir de mal a pior, ou quando a relação já terminou, é que ficamos nos questionando se não faltou força de vontade para investir mais em coisas relativamente simples. Dizer “eu te amo” com o coração e não pelas cobranças. Há quanto tempo deixou de escrever bilhetinhos românticos e espalhar pelos lugares mais inusitados? Quando foi que elogiou seu par pela última vez? E aquele café da manhã especial onda anda? Abraços e beijos inesperados, o que é isso? Horas a fio em frente à TV e nem percebeu que ela mudou o visual? Sair sempre sozinho tem sido mais interessante? Tem trocado o diálogo por uma conversinha superficial?

A frieza entre o casal é um dos motivos que levam à separação. Antes que isso aconteça é preciso investir e realinhar o relacionamento prestando atenção nas necessidades do outro. Trocar idéias, sonhos, ter tempo para o outro, melhorar a autoestima e o visual, e investir numa receitinha particular para fazer a relação ir de vento em popa. Sem hora marcada, sem uma data especial.

Experimente!

 
 
28 de dezembro de 2015

Momento de pensar na família

familia

O final do ano está chegando. Além de celebrar a virada, o momento também é de reflexão. Como foi 2015? Onde acertei, onde errei? O que posso melhorar no ano que vem? E um dos temas que merecem atenção é a família. Você já parou para pensar como ela anda? Por causa da correria do dia a dia, repleto de obrigações, nos esquecemos de que a felicidade está no amor e no carinho do ambiente familiar, não nos negócios e nos bens conquistados.

“Quando foi que você sentou com um filho para bater um papo ou saiu com o seu cônjuge para namorar? Há quanto tempo você não diz para um membro da sua família ‘eu te amo?’ ou ‘eu gosto de você’?”, pergunta a matchmaker Marlene Heuser. A instituição família está passando por uma crise. E isso tem maior reflexo entre os jovens. Muitos estão desorientados, sem a noção do certo e do errado.

Com a chegada do natal, é a hora de refletir sua atuação como pai ou mãe. A escritora Lya Luft, em uma de suas colunas para a revista Veja, citou uma frase, dita por um psicólogo, que reflete bem o momento atual. “A maior parte dos jovens perturbados que atendo não tem em casa pai e mãe, tem um gatão e uma gatinha”. São mães que, em vez de ficar com os filhos, preferem ir ao cabelereiro ou à academia. E pais que vivem atrás dinheiro, colocando os ganhos financeiros (status) acima de todas as outras facetas da vida.

A família, no entanto, precisa de atenção especial. Os filhos precisam ser ouvidos e educados. Não adianta passar esse papel para a escola. A função dela é trabalhar conhecimentos, não atuar como uma família substituta. “É na família que os filhos aprenderão os valores e os comportamentos necessários para a vida em sociedade: a solidariedade, a confiança, a generosidade, o respeito, a respeitar as diferenças de gostos, de temperamento, de desejos e de necessidades”, relata Marlene.

Casal

Nesse momento, também é importante refletir sobre a relação entre o casal. A conversa é importante. O diálogo é essencial para uma convivência saudável e prazerosa. Falem sobre vitórias e alegrias, derrotas e tristezas, experiências do dia-a-dia, fé, vida profissional e sobre o que se passa na nossa sociedade. Essa troca deve ser transformada num momento mágico de paz, alegria, de palavras e mensagens positivas onde o objetivo comum é o afeto e a ajuda mútua.

Reflita sobre a sua família.