Category Archives: Comportamento

04 de janeiro de 2016

Viver é um desafio constante!

viver

“Um dia, um homem observou uma borboleta por várias horas, em uma pequena abertura, num casulo (invólucro construído pela lagarta). Ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Parecia que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Tiinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir adiante.

Então o homem, em sua humilde intenção, decidiu ajudar a borboleta. Pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente, mas seu corpo estava murcho e fraco. Era pequena e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observá-la porque esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e se esticassem para poder suportar o corpo e voar. Mas, nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

Aquele homem tão gentil e com tanta vontade de ajudar não compreendia o que acontecera. O casulo apertado e o esforço necessário para passar através da pequena abertura, fariam com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas. Assim, ela estaria livre do casulo. Pronta para voar”.

Podemos observar nessa história que ela se aplica a todos nós. Sem esforço e determinação não é possível atingir os nossos objetivos. Estaremos sempre na dependência de terceiros para chegar a algum lugar. Posso citar um exemplo bem típico desta época: os pais passam o ano inteiro pedindo ao filho que estude. Às vésperas do vestibular enquanto os amigos “devoram” os livros, ele vai com os amigos para a balada. Quando ele não consegue ver seu nome na lista dos aprovados, se dá conta de que faltou garra.

Os pais não devem se desesperar e nem se culpar. Muitas vezes, o jovem ainda é imaturo e necessita de alguns tombos para aprender. Por outro lado, os pais não devem dar e nem fazer demais pelos filhos. Devem sim, zelar, ficar atentos. Algumas lições a vida lhes ensinará. É nos momentos de escolhas que a transformação pode acontecer. As mudanças podem começar no caos para chegar ao equilíbrio. A grande transformação é interna, vem de dentro para fora. Não adianta falar, falar, falar…

A vida é simples, o ser humano é que gosta de complicar tudo. Seria tão sensato decidir através de uma visão lógica, mas a vida prega surpresas em cada esquina. Não existem fórmulas mágicas.

É preciso ter coragem, acreditar em seus sonhos, sentir a plenitude da vida. Cada um deve ter nas mãos as rédeas do próprio destino. Quem tem medo de ousar e espera que alguém pegue a tesoura e corte o restante do seu casulo, certamente, não sairá do lugar. As mudanças positivas fazem crescer, aproveitar melhor os momentos, perceber os insights.

É conhecendo-se que dá para identificar o que realmente se quer da vida, quais as potencialidades, os pontos fracos e qual o caminho a seguir para crescer, transformar-se num ser melhor promovendo uma grande virada. Sem medo de ser feliz!

A transformação é uma porta que só se abre por dentro…
Você concorda com esse provérbio?

 
 
28 de dezembro de 2015

Momento de pensar na família

familia

O final do ano está chegando. Além de celebrar a virada, o momento também é de reflexão. Como foi 2015? Onde acertei, onde errei? O que posso melhorar no ano que vem? E um dos temas que merecem atenção é a família. Você já parou para pensar como ela anda? Por causa da correria do dia a dia, repleto de obrigações, nos esquecemos de que a felicidade está no amor e no carinho do ambiente familiar, não nos negócios e nos bens conquistados.

“Quando foi que você sentou com um filho para bater um papo ou saiu com o seu cônjuge para namorar? Há quanto tempo você não diz para um membro da sua família ‘eu te amo?’ ou ‘eu gosto de você’?”, pergunta a matchmaker Marlene Heuser. A instituição família está passando por uma crise. E isso tem maior reflexo entre os jovens. Muitos estão desorientados, sem a noção do certo e do errado.

Com a chegada do natal, é a hora de refletir sua atuação como pai ou mãe. A escritora Lya Luft, em uma de suas colunas para a revista Veja, citou uma frase, dita por um psicólogo, que reflete bem o momento atual. “A maior parte dos jovens perturbados que atendo não tem em casa pai e mãe, tem um gatão e uma gatinha”. São mães que, em vez de ficar com os filhos, preferem ir ao cabelereiro ou à academia. E pais que vivem atrás dinheiro, colocando os ganhos financeiros (status) acima de todas as outras facetas da vida.

A família, no entanto, precisa de atenção especial. Os filhos precisam ser ouvidos e educados. Não adianta passar esse papel para a escola. A função dela é trabalhar conhecimentos, não atuar como uma família substituta. “É na família que os filhos aprenderão os valores e os comportamentos necessários para a vida em sociedade: a solidariedade, a confiança, a generosidade, o respeito, a respeitar as diferenças de gostos, de temperamento, de desejos e de necessidades”, relata Marlene.

Casal

Nesse momento, também é importante refletir sobre a relação entre o casal. A conversa é importante. O diálogo é essencial para uma convivência saudável e prazerosa. Falem sobre vitórias e alegrias, derrotas e tristezas, experiências do dia-a-dia, fé, vida profissional e sobre o que se passa na nossa sociedade. Essa troca deve ser transformada num momento mágico de paz, alegria, de palavras e mensagens positivas onde o objetivo comum é o afeto e a ajuda mútua.

Reflita sobre a sua família.