Monthly Archives: julho 2015

27 de julho de 2015

A solidão é passageira, e pode ser bem aproveitada

solidaoVivemos a era dos ideais de consumo, egoísmo, individualismo, imediatismo e do narcisismo em alta. A preocupação de chegar aos 30 e não ter encontrado um par para se casar já não atormenta tanto as pessoas. Há quem opte por priorizar a vida profissional mais do que ao casamento. Pelo menos num determinado momento.

Em tempos de atividades cada vez mais solitárias, como internet, TV, academia, ir ao cinema ou a balada, as pessoas gastam um bom tempo com o seu bem-estar, preocupados com a qualidade de vida e com a estética.  

 
 
 
20 de julho de 2015

Pequenos hábitos que melhoram a harmonia do lar

familia

Casar-se e constituir uma família traz grandes mudanças para a vida de um casal. Se antes havia tempo para dedicar atenção apenas um ao outro, depois de casados e com filhos a caminho o tempo diminui e a atenção é distribuída entre as diversas responsabilidades do lar e os pequenos.

Nesse sentido, o cansaço, por exemplo, é iminente. Existe o risco de que o relacionamento pareça desgastado e perca a magia que tomava conta do casal antes de se formar a família.  

 
 
 
13 de julho de 2015

Dez passos para a felicidade a dois

1Não existe uma fórmula mágica para um relacionamento dar certo. Essa é uma das crenças de Marlene Heuser, matchmaker e proprietária da agência de relacionamentos Golden Years.

No entanto, colocar em prática alguns pontos importantes pode ajudar na construção e manutenção de uma união conjugal saudável e feliz.

Veja 10 passos elaborados pela Marlene para a felicidade a dois:  

 
 
 
06 de julho de 2015

Que importância você tem dado para o amor em sua vida?

amornavida

Investimos anos e anos para nos tornarmos profissionais de sucesso e, ingenuamente, acreditamos que nascemos prontos para o amor. Somos seres amorosos. Nossa verdadeira essência é a do amor. Mas, muitas vezes, não damos a devida importância ao aprendizado do amor.

 

Geralmente quem só atrai amores impossíveis não está apto para viver um amor. Seja por medo de se entregar, ou por medo de vir a ter e perder. Quem investe em relacionamentos complicados diminui ainda mais a probabilidade de dar certo. É importante fazer uma séria análise das posturas e do grau de exigência antes de falar mal do parceiro.

 

Se não conseguir sozinho, peça socorro!

 

Tudo é válido quando está em jogo a felicidade. Ouça sempre o seu coração. Acredite na força do amor. Se perceber que está perdido, sem rumo e confuso em relação aos seus sentimentos, não hesite em se abrir com o próprio parceiro, um amigo mais chegado ou um conselheiro sentimental.

 

Em momentos de crise, nem sempre se consegue a lucidez necessária para buscar as respostas que se gostaria. Antes de explodir, opte pelo silêncio para não se arrepender depois. Quando a poeira baixar, chega a hora de aparar as arestas. Quem vive em desarmonia e desequilíbrio deve buscar ajuda profissional para se libertar dos seus fantasmas. O outro não é saco de pancadas. É um companheiro de jornada…

Mude sua maneira de agir

A grande transformação só acontece quando descobrimos que a força vem do nosso interior, de dentro para fora. É preciso agir, pois se ficarmos apenas nas suposições, nada mudará e os sonhos acabarão se diluindo no tédio de estar sempre achando que anda tudo igual ou tudo errado. Muitas vezes, a pessoa percebe que é preciso dar uma virada, no entanto, nem sempre consegue trazer à tona a força que precisa para recomeçar.

 

O ponto de partida deve ser a reorganização do dia-a-dia, idealizar o sucesso pessoal e priorizar um projeto de vida. Quem tem um projeto de vida constrói objetivos pessoais, materializa sonhos, enfim, concretiza ideias. Significa guiar  e conduzir a vida e não deixar apenas que as coisas aconteçam. Olhar o futuro sem esquecer de viver o presente. Lembrar sempre que o entusiasmo, o sucesso, o bem-estar e a felicidade estão, antes de tudo, na maneira como a pessoa se relaciona consigo mesma e com o mundo.

 

Quando estiver no trabalho concentre-se nas atividades profissionais e quando estiver em casa pense só no que estiver ao seu alcance de fazer, sem ficar ruminando as suas frustrações afetivas.

 

É importante ter consciência de si mesmo: conhecer seus sentimentos, entender suas reações e conhecer seu funcionamento mental consciente e inconsciente para evitar futuros erros e equívocos.

 

Existindo espaço para apostar na força do amor com o mesmo par, tenha em mente que para dar certo deverá existir equilíbrio entre dar e receber, respeito mútuo, respeito à individualidade e se o casal souber negociar as diferenças aceitando o outro como ele é. Sem críticas. Cuidado, pois a boca só fala o que o coração está cheio. Verifique sempre o conteúdo do seu coração!

Veja também: Você tem sorte no amor?

 

 
 

Você tem sorte no amor?

sortenoamor

Passamos a vida encantados. E desencantados. O que ontem foi objeto do nosso amor pode hoje ter se transformado em desamor.

 

Tem gente que costuma dizer que não tem sorte no amor. Será mesmo falta de sorte? Aproximar-se sempre do mesmo perfil é um reflexo do seu padrão mental. Pare e reflita: onde tem conhecido essas pessoas? No barzinho, na boatwe, no trânsito, por apresentação, na Internet? Tem se vestido de acordo com sua idade e profissão? Como anda a sua postura e comportamento? Vive sonhando e fantasiando e acredita em soluções mágicas e em príncipes encantados? Constantemente vive se queixando e reclamando de seu par ou se acomoda em situações de infelicidade?

 

Muitas vezes, pensamos estar dando o melhor de nós para criar um relacionamento amoroso positivo, mas exageramos na dose e, sem perceber, acabamos espalhando as sementes da rejeição. É possível que você esteja agindo errado nos relacionamentos.

 

Como mudar?

 

O primeiro passo é verificar como anda a sua comunicação e que tipo de mensagem você envia para o pretendente ou para o seu par. Ainda que no amor nada seja definitivo e tudo possa ser modificado, lembre-se de se posicionar de forma clara, sincera, transparente, amigável e respeitosa.

 

Em vez de ficar reclamando dos tipos que atrai, precisa aceitar que as pessoas só fazem com a gente aquilo que permitimos. Mudar a forma de agir e pensar será importante para atrair outro perfil. Você se julga competente na vida profissional e incompetente na vida amorosa? Dê um basta, mexa-se.

 

Pode parecer utópico falar de amor numa época em que as pessoas se deixam iludir por relacionamentos fugazes e superficiais. O “ficar” da moçada parece ter contaminado as relações de outras faixas de idade. Lamentavelmente, gente grande, que poderia ter um pouco mais de discernimento, está se deixando seduzir pela quantidade, em vez de qualidade.

Veja também:  Que importância você tem dado para o amor em sua vida?