Monthly Archives: outubro 2014

29 de outubro de 2014

Como conquistar uma mulher moderna

mulhermodernaSe você quer transformar uma paquera com uma mulher moderna em um compromisso sério, abandone os velhos e ultrapassados manuais de conquista. Joguinhos não funcionam nessa hora. Na hora da conquista, é preciso inteligência, sabedoria e sutileza.

A matchmaker Marlene Heuser dá algumas dicas para homens que estão à procura de relacionamentos sérios.

Respeite-se: primeiramente, respeite-se. Se você não fizer isso, ninguém fará por você. Valorize o seu passe.

Não exagere: quando conversa com uma mulher, não a transforme em sua terapeuta. Não desabafe ou conte seus problemas. Isso pode afastar. Não é interessante, também, “cantar de galo” e contar suas aventurais sexuais.

Sutileza: demonstre interesse de forma sutil e saiba “bater em retirada” na hora certa. As mulheres valorizam aquele homem que não busca apenas aventuras.

Inteligência: a mulher moderna valoriza a inteligência. Por isso, durante a conversa, mostre que tem conhecimento de mundo e cultura. Mas tudo tem limite: nada de ser arrogante.

Calma: não vá com sede ao pote. Não precisa mostrar de início que você quer um relacionamento sério. Isso pode afastar a pretendente. Aja com naturalidade, mesmo se a ansiedade estiver lhe consumindo por dentro.

E lembre-se: O compromisso só acontece quando os dois envolvidos estão dispostos a sair da superficialidade para investir em algo duradouro. Se você perceber que a outra pessoa não tem esse interesse, caia fora.

Veja também: A felicidade está logo ali

 
 
23 de outubro de 2014

Relacionamento cristão

relacionamentocristao

O relacionamento cristão destoa dos outros. Na Igreja, seja evangélica ou católica, existe o cultivo do diálogo, do respeito ao próximo e da fidelidade. Durante as cerimônias, sejam missas ou cultos, também se vê a congregação dos costumes da família.

O namoro, no relacionamento cristão, é visto como um passo para o casamento, não como algo passageiro ou uma “ficada”, tal qual um relacionamento com viés mais contemporâneo.  Os namorados procuram conhecer um ao outro antes de avançarem as etapas.

Inversão

O mundo ficou mais rápido, tecnológico e livre. Só que essa velocidade afetou o amor. O sentimento, até então retratado em poemas românticos, se transformou em algo efêmero, enlatado e “líquido” – nome que o sociólogo Zygmunt Bauman dá a fragilidade dos vínculos humanos, bem característica da modernidade. Claro que não podemos generalizar, mas essa realidade faz parte do momento em que vivemos e precisamos encará-la.

 

 
 
 
14 de outubro de 2014

Quem ama trai?

 

Quem ama trai?

Marlene Heuser (Matchmaker à frente da agência de namoro e casamento Golden Years)

A palavra traição quase sempre causa mal estar. Quem gosta de ser traído?  Apenas a título de curiosidade, a sexta-feira santa nos arremete para a traição de Judas.

Embora haja muitos tipos de traição, amigos, parentes, colegas, em todos os casos sempre causa muito sofrimento aos envolvidos, em especial, à pessoa traída. Muitas considerações podem ser feitas sobre as várias formas de traição e suas motivações. Mas, vou me fixar na mais conhecida e temida: a traição conjugal.

Muita gente diz que traição é a satisfação de um desejo fútil e súbito de alimentar o ego. O ser humano adora conquistar, mesmo estando bem na relação. Olhar, paquerar é gostoso, faz bem e massageia o ego. Depois vira a página, sem problemas, sem culpa.

 

 
 
 
07 de outubro de 2014

Como superar a timidez

como-superar-timidez

A timidez é uma velha conhecida. Ela com certeza já apareceu em algum momento do dia a dia, seja em uma apresentação, durante uma reunião de trabalho ou em uma paquera.

O problema é quando ela se transforma em um entrave constante, e deixa de ser uma “visita passageira”.  De acordo com a Marlene Heuser, matchmaker à frente da agência de relacionamentos Golden Years, há dois tipos de timidez: a crônica e a situacional.

“Na timidez crônica a pessoa experimenta dificuldade em praticamente todas as áreas do convívio social. Ela não consegue paquerar, falar com estranhos, fazer amigos, falar em público, enfim, o prejuízo é generalizado. Já na timidez situacional a inibição se manifesta em ocasiões específicas e, portanto, o prejuízo é localizado”, conta Marlene.

Há, também, a timidez patológica, mais conhecida como fobia social. Nesses casos, a pessoa passa a evitar o convívio social ou programas como frequentar restaurantes, fazer cursos e sair para uma balada com os amigos.

Se a timidez realmente se transformar em parte da sua vida, há um problema que precisa ser solucionado.  Veja se você se enquadra em algumas situações abaixo:

– Dificuldade para aproximar-se da outra pessoa

– Sofrimento por crises de ansiedade